Homem que matou filha e enteada é preso em igreja


O homem suspeito de matar a filha e a enteada na quarta-feira (15), em um apartamento em Guarulhos, na Grande São Paulo, foi preso horas depois de cometer o crime dentro de uma igreja evangélica localizada em Santos, no litoral paulista. Clayton Almeida de Jesus, de 34 anos, é açougueiro e foi indiciado por homicídio duplo qualificado. Ele está preso na 1º DP de Guarulhos. 
As vítimas foram Priscila Beatriz Tavares Almeida, de 3 anos, e Edmilly Geovana Tavares, de 8 anos. Priscilla é sua filha biológica e Edmilly é sua enteada. 
A audiência de custódia de Clayton será realizada na manhã desta quinta. Depois da audiência, o açougueiro deve ser encaminhado para um Centro de Detenção Provisória (CDP). 
A motivação para o duplo assassinato seria ciúmes. Ele foi preso no momento em que participava de um culto religioso.
Um policial falou em condição de anonimato que as crianças foram encontradas, já sem vida, abraçadas sobre a cama da mãe, com uma camiseta na qual estava estampada a foto do principal suspeito com a companheira.
Ao lado dos corpos, o acusado deixou um bilhete afirmando que iria também matar os filhos do suposto amante de sua mulher. A polícia investiga se as crianças foram asfixiadas ou envenenadas.
Segundo um áudio recebido pela Polícia Civil, atribuído ao acusado, ele afirma ter descoberto que a mulher o traía com o encarregado dela. A revelação teria sido feita, ainda segundo a gravação, pelo própria companheira do suspeito no Dia das Mães.
"Eu acabei de matar as minhas duas filhas e agora estou indo na sua casa [suposto amante] para fazer o mesmo com seus filhos [...] a dor que eu senti de minha filha morta em meu colo, você também vai passar por isso", diz trecho do áudio.
O criminoso, no entanto não concretizou as ameaças e fugiu para o litoral paulista. Segundo a polícia, investigações indicaram que ele participava de um culto evangélico, no bairro do Gonzaga, momento em que foi preso e encaminhado para a Delegacia Seccional de Guarulhos.
Segundo o delegado Wagner Coimbra, responsável pelo caso, o assassino queria se vingar da esposa. “[Foi] Vingança. ‘Estou sentindo uma dor muito grande e quero que ela sinta também, como eu faço isso? Matando minha filha e enteada’”.
Após o crime, Clayton pretendia fugir para o Rio de Janeiro, mas não tinha dinheiro. Ele então saqueou o cofre das meninas, que tinha por volta de R$ 70,00, e seguiu para o litoral paulista.
 Folhapress

Postar um comentário

0 Comentários