Irmãos com doença crônica vão receber rins de um mesmo doador


Transplante nos dois será possível diante da compatibilidade com o doador

Acometidos por uma doença renal crônica, causada por questão genética, os irmãos Luciano e Adriano Chagas Silvério, de Linhares, no Norte do Estado, receberam uma excelente notícia nesta semana. Após anos de espera, os dois irão receber um transplante de rins de um mesmo doador.
O transplante nos dois será possível diante da compatibilidade com o doador. Eles serão transplantados ao mesmo tempo, na tarde desta quinta-feira (16), no Hospital Evangélico de Vila Velha.
O pai e a avó de Luciano e Adriano também foram pacientes renais crônicos. O pai também fazia hemodiálise no Hospital Evangélico, e passou pelo mesmo procedimento.
Adriano, de 32 anos, apesar de mais novo do que Luciano, descobriu a doença antes, há 12 anos. Ele chegou a ficar internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) por 17 dias.
“Na época eu tinha 19 anos, era muito jovem e minha vida mudou muito por causa da hemodiálise. Eu jogava futebol e tinha uma rotina de atleta, agora não faço mais isso. Assim que eu iniciei a hemodiálise o médico me encaminhou para a fila do transplante. Estou aguardando há 12 anos”, contou.
Luciano, de 33 anos, descobriu o rim parado (e a necessidade de hemodiálise) há sete anos. Desde então, foi obrigado a deixar de trabalhar. “Eu estava vindo para uma consulta do Hospital Evangélico de Vila Velha. No meio do caminho recebi a ligação. Não estava esperando, tomei um choque. A moça falou que tinha um rim disponível para mim e para o meu irmão. Perguntou se eu podia entrar em contato com ele, eu disse que sim, lógico. Aí eu dei meia volta na hora e voltei para buscar ele. Foi maravilhoso, era a melhor notícia que eu poderia ter dado a ele, que já estava aguardando há mais tempo que eu”, afirmou Luciano.
Sobre o procedimento cirúrgico, Adriano comemorou que o transplante chegou para os dois irmãos e contou que, caso houvesse apenas um rim, eles iriam “decidir na hora” quem receberia o órgão.
“Jamais imaginei receber a doação junto com o meu irmão. Eu me sinto muito feliz por ter acontecido dessa forma. Nós vamos sair desse sofrimento juntos, porque a hemodiálise causa um transtorno. Agora vamos ter uma vida melhor”, afirmou Adriano.
Adriano e Luciano deram entrada no Centro Cirúrgico do Hospital Evangélico para o transplante na tarde desta quinta-feira (16).
Fonte: Tribuna Online

Postar um comentário

0 Comentários