Motoristas de ônibus estudam aderir a greve geral

O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários (Sindirodoviários) estuda aderir a greve geral marcada para o dia 14 de junho. A paralisação nacional vai ocorrer às véspera da data prevista para a votação da Reforma da Previdência, no Congresso Nacional.
O presidente do Sindirodoviários José Carlos Sales informou que a categoria deve decidir pela adesão ou não a greve até a próxima semana. "A diretoria do sindicato, até semana que vem, vai se reunir para tomar essa decisão. Isso ainda está sendo estudado", contou o sindicalista.
A greve foi aprovada pelas principais centrais sindicais do País, durante ato em comemoração do Dia do Trabalho, no último dia 1º, no Vale do Anhangabaú, em São Paulo.
Na oportunidade, a Central Única dos Trabalhadores (CUT), Força Sindical, Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), União Geral de Trabalhadores (UGT), Intersindical, Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), Nova Central, Central Sindical e Popular (CSP-Conlutas), Frente Brasil Popular e Frente Povo sem Medo deliberaram pela paralisação no dia 14 de junho em protesto contra a aprovação da reforma.
Após a decisão de aderir a greve, o presidente nacional da CUT, Vagner Freitas, afirmou que a proposta do Governo é cruel com o povo. "O Brasil irá parar em defesa do direito à aposentadoria dos brasileiros e das brasileiras. A única forma de barrar essa reforma é fazer o enfrentamento nas ruas. É greve geral”, pontuou ele.
Por Tribuna Online

Postar um comentário

0 Comentários