Ruas de Cobilândia continuam alagadas após quatro dias



As ruas do bairro Cobilândia, em Vila Velha, continuam alagadas quatro dias após a forte chuva de sábado (18). A dona de casa Eliana Maria de Jesus, de 35 anos, registrou da varanda da casa a situação na manhã desta terça-feira (21).

Na manhã e tarde de segunda (20), moradores do bairro e também de Jardim Marilândia fizeram uma manifestação na avenida Carlos Lindemberg. Usando a roupa do corpo, a aposentada Creusa Maria Barcelos Teixeira, de 65 anos, fez um desabafo durante o protesto. “Não aguentamos mais perder tudo. Alguém tem de olhar por nós. Estamos cansados de sofrer”.

Ela disse que essa é a terceira enchente em que perde tudo. “Moro em Cobilândia. A primeira vez que perdi as coisas foi há quatro anos. Teve outra no ano passado e, agora, o pesadelo volta a acontecer”.

Apesar da cobrança de moradores e comerciantes por medidas imediatas, a previsão é que as obras de macrodrenagem na cidade só sejam entregues no final de 2020.


Questionado sobre os problemas recorrentes na cidade, o prefeito Max Filho afirmou que, sozinha, a prefeitura não tem como dar conta, por isso é necessária a ajuda dos governos estadual e federal.
“O Estado tem recursos para obras de macrodrenagens em Vila Velha da ordem de R$ 300 milhões desde 2013. Temos nos reunido permanentemente com a equipe de Renato Casagrande e temos convicção de que essas obras sairão do papel.”
Segundo ele, essas obras são em quatro grandes bacias do município, como no Canal da Costa, com previsão de novas estações de bombeamento, além de obras no Canal de Guaranhuns. “Também tem obras previstas para o rio Aribiri, que é por onde deveriam sair as águas da Grande Cobilândia; e obras no Canal Marinho”.
Fonte: Tribuna Online

Postar um comentário

0 Comentários